A Ressurreição de Lázaro

O Evangelho da liturgia do 5º Domingo da Quaresma traz um magnífico sinal operado por Nosso Senhor: a ressurreição de Lázaro. Através da narração deste episódio da Vida de Jesus, deseja a Santa Igreja preparar-nos para a Semana Santa que se aproxima na qual contemplaremos a Dor e a Glória de Jesus: a Dor, realizada em sua Paixão, momento em que Nosso Senhor é afligido por atrozes sofrimentos e humilhações que produzem uma ignominiosa morte de cruz; a Glória, em sua Ressurreição, na qual, saindo refulgente de luz do sepulcro, Jesus triunfa sobre a morte, o pecado, o mundo e o demônio.

Por que razão deseja a Santa Igreja, através da narração do episódio da Ressurreição de Lázaro, preparar-nos para a Semana Santa?

A Quaresma é um tempo de penitência. Por este fato, este é um momento propício para considerarmos o nosso nada, a nossa fragilidade, nossa tendência ao pecado a fim de dispormos de uma maneira adequada nossas almas a uma autêntica conversão. Deste modo, o grande fruto que a Santa Igreja deseja que os fieis colham dos exercícios penitenciais da quaresma consiste numa maior temperança no relacionamento com os bens deste mundo e, sobretudo, numa maior humildade.

Ao mencionar neste último Domingo da Quaresma a Ressurreição de Lázaro, deseja a Santa Igreja, inspirada que é pelo Espírito Santo, nos manifestar que a dura prova pela qual passamos nesta vida – especialmente nos exercícios quaresmais – trar-nos-á como consequência a ressurreição para a vida eterna que nos acarretará o fato de abraçarmos com entusiasmo as cruzes que impõe uma vida cristã bem vivida. A Santa Igreja deseja nos lembrar que o mesmo Senhor que ressuscitou Lázaro para esta vida, é o que Se ressuscitará a Si mesmo após uma dolorosa Paixão e Morte, e nos ressuscitará também a nós no último dia da Criação. Vale a pena, portanto, sofrermos com amor a Deus tudo quanto a Providência permitir em nossas curtas existências, sobretudo para mantermo-nos firmes na prática do bem. Desta maneira alcançaremos a glória eterna naquele dia em que ressoarão as angélicas trombetas e os mortos ressurgirão – uns para vida e outros para a morte – definitivamente de seus sepulcros.

*          *          *

Na noite de domingo, 2 de abril de 2017, encerraram-se as Missões Marianas na Paroquia Universitária Sagrado Coração de Jesus em Bauru – SP

Para finalizar esta semana missionária o S. Excia. Revma. Dom Caetano Ferrari, OFM Bispo Diocesano de Bauru foi quem presidiu a Santa Missa de encerramento. Após esta celebração, a imagem peregrina foi por ele coroada ao som das trombetas. Em decorrência, esta comunidade foi também por ele consagrada ao Imaculado Coração de Maria.

Em decorrência a esta sublime cerimônia, foram abençoados e enviados oratórios do Apostolado “Maria, Rainha dos Corações”.