Ó Arcanjo São Miguel, defendei-nos no combate!

No capítulo 12 do livro do Apocalipse de São João encontramos a figura de uma Mulher revestida de sol, tendo a Lua debaixo dos pés, a qual leva em sua cabeça uma coroa de doze estrelas. Tal Mulher está para dar à luz um filho varão e ambos são perseguidos por um Dragão cor de fogo.

Logo após tal impressionante visão, aparece a figura de Miguel que, com seus Anjos está a combater o Dragão com seus diabólicos sequazes. Estes são precipitados do céu à terra e tomam a iniciativa de perseguir a Mulher e a sua descendência. Esta recebe asas como de águia a fim de fugir ao deserto.

Qual será o significado de tal Mulher? Muitos autores atribuem tal figura à Santa Igreja. Com efeito, esta visão talvez esteja se referindo aos grandes combates da Esposa Mística de Cristo ao longo da história.

Nesta descrição feita pelo Apóstolo e Evangelista São João fica bem claro que o Dragão cor de fogo é símbolo de Satanás. Este foi expulso do céu em uma grande batalha contra São Miguel e seus Anjos. Sendo pelo Arcanjo derrotado, Lúcifer e os demônios, seus seguidores, fizeram o propósito de arruinar com a obra de Deus, vindo para a terra a fim de tentar os homens, para fazê-los perder a coroa celeste a eles reservada. Entretanto, São Miguel, como grande general dos exércitos celestes não abandonou os homens nesse rude combate contra o Príncipe das Trevas. Pelo contrário, está sempre disposto a defendê-los em todas as vicissitudes de suas dolorosas existências nesta terra de exílio. Basta que a ele recorram com toda a confiança.

O mesmo podemos dizer a respeito da Mulher, a Santa Igreja Católica, fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo, e tornada por Ele santa, irrepreensível, imaculada: ela nunca morrerá, por mais encarniçada que seja a perseguição de Satanás. E, quem tem a missão de defendê-la em meio aos seus mais duros combates? Nada mais nada menos que Miguel, o qual nos inícios da Criação expulsou do Céu Empíreo o odioso Dragão. É ele que nos finais dos tempos lançará o mesmo Lúcifer com os seus diabólicos sequazes no fundo do tenebroso lago de fogo e enxofre e proclamará a definitiva vitória da Santa Igreja sobre seus inimigos.

Mas, podemos afirmá-lo, tal vitória já se iniciou! Ela na verdade está num processo de consecução, por mais que as aparências digam o contrário. Ela iniciou-se no Céu com a precipitação dos demônios e a vitória de Miguel; ela iniciou-se na Terra, quando esses foram para cá lançados, a fim de continuar sua peleja com o fito de conquistar o gênero humano para sua ignominiosa causa. Todos nós somos chamados a participar dessa peleja e dessa vitória contra o mal. No final, Deus triunfará, e concederá aos vencedores participar de seu triunfo.

Triunfaremos com Ele, ou nos deixaremos arrastar por Satanás? A escolha é nossa. Se nos sentirmos fracos, recorramos a Miguel: é ele que ao nosso lado bradará o “Quem como Deus!” afugentando as maléficas obras do demônio; é com seu auxílio e proteção que teremos forças para combatermos com toda a energia o inimigo de nossa salvação; é com ele, enfim, que cantaremos no último dia o cântico novo da vitória.

Por ora, entretanto, nos contentemos em rezar todos os dias a seguinte jaculatória: “Ó Arcanjo São Miguel, defendei-nos no combate!”

 

****

 

A Missão Continua com mais ímpeto que nunca!. Entre os dias 21 e 27 de outubro de 2019, as atividades missionárias aconteceram na Paróquia Santa Rita de Cassia. Foi o Revmo. Pe. Genildo Gomes da Silva, que instou a esta unidade missionária dos Arautos do Evangelho a visitar os lares e órgãos públicos do seu território paroquial.

Abertura das Missões

Missas durante a semana

A imagem de Nossa Senhora de Fátima percorreu as ruas da paroquia levando esperança, conforto e paz a diversas famílias.

Visitas

Neste post vêm publicadas as fotografias da abertura das Missões, das Santas Missas, às adorações e bênçãos do Santíssimo Sacramento, bênçãos e imposições de escapulários de Nossa Senhora do Carmo, Procissão luminosa e a Missa de encerramento das Missões.

Procissão luminosa

Encerramento